Tudo o que pode fazer para um pós-operatório perfeito


Alguns tratamentos estéticos têm uma relação de grande importância no pós-operatório de uma cirurgia. Descubra quais os tratamentos que podem ajudá-lo a recuperar melhor.



O sucesso de uma cirurgia não se relaciona apenas pelas técnicas e pelo profissionalismo do cirurgião e o mesmo se aplica às cirurgias plásticas. Alguns tratamentos estéticos no pós-operatório são fundamentais para atingir o resultado esperado.


Além disso, alguns procedimentos estéticos revelam-se fundamentais para evitar fatores que podem provocar complicações pós-cirúrgicas. A exemplo, em algumas cirurgias plásticas pode ocorrer um inchaço, provocado pelo deslocamento da pele que, se não combatido corretamente, pode levar a irregularidades na pele e até fibroses.


2 Tratamentos estéticos a recorrer no pós-operatório


De acordo com as intervenções cirúrgicas realizadas existe uma série de opções. No caso da lipoaspiração, da abdominoplastia e do lifting facial, revelam-se necessárias algumas sessões de drenagem linfática. De forma geral, destacamos a drenagem e a radiofrequência, devendo, no entanto, seguir-se as orientações do médico cirurgião.


1 # Drenagem linfática manual

Este tratamento estético é indispensável num pós-operatório de cirurgia plástica, devendo a primeira sessão ocorrer 48 horas após a intervenção. A premissa é de que quanto mais cedo foi realizada a drenagem, menor é a probabilidade de acumular líquidos no local e mais rápida é a recuperação.


Como a massagem tem por objetivo captar o líquido intersticial e fazer com que ele volte à circulação sanguínea, a massagem faz com que a pele recupere o aspeto mais saudável e normal, através de movimentos manuais, suaves, lentos e rítmicos.


A massagem promove a desintoxicação dos tecidos, melhora a oxigenação e a nutrição celular. Para além disso, diminui a probabilidade de fibrose, sendo indicadas, em média, cerca de 10 a 20 sessões.


2 # Radiofrequência

A radiofrequência pode ser realizada no rosto ou no corpo e é um procedimento estético ótimo para tratar e prevenir aderências e flacidez na pele, no pós-operatório. Através deste tratamento não invasivo, as fibras de colagénio que são aquecidas, contraem-se e a pele retrai.


Através do aquecimento provocado neste procedimento, o metabolismo das células dos fibroblastos aumenta e ocorre a remodelação do colagénio, proporcionando uma aparência da pele mais firme e retraída a longo prazo.


Após a realização da radiofrequência, as atividades normais podem ser retomadas de imediato. Em alguns casos pode verificar-se que ocorre hiperemia, isto é, pele com cor avermelhada, no local da aplicação. É uma ocorrência normal, que vai desaparecer pouco depois do tratamento.


A radiofrequência revela-se importante no pós-operatório, uma vez que ajuda na recuperação das regiões do corpo afetadas pela flacidez causada por exemplo, por uma lipoaspiração, e inchaço que antes só tinham solução por meio da drenagem linfática.



4 Cuidados a seguir num pós-operatório


Evite a exposição solar em excesso – a exposição solar em excesso num pós-operatório pode provocar aumento do edema, aumentar a probabilidade de sangramentos e, ainda, provocar manchas ou cicatrizes. Deve, aliás, evitar-se o sol por cerca de 45 dias ou, em alternativa, usar um bom protetor solar.


Melhore a sua alimentação – alguns alimentos consumidos em excesso podem levar à retenção de líquidos. Num pós-operatório é ideal evitar enlatados, conservantes e alimentos muito salgados. Aliás, se conseguir reduzir ao máximo os alimentos industrializados na sua dieta só vai verificar vantagens.


Evite os movimentos bruscos e carregar peso – alguns movimentos no pós-operatório podem forçar a cicatriz ou prejudicar o resultado, por isso, respeite as recomendações do seu médico cirurgião e cumpra o tempo de repouso indicado.


Evite fumar – sabia que o hábito de fumar aumenta o risco de necrose? Isto acontece porque o tecido precisa de oxigénio para se regenerar e melhor cicatrizar, sendo que o cigarro interfere na oxigenação e, por consequência, o resultado da ferida é pior no paciente que fuma. Além disto, fumar também pode aumentar a probabilidade de trombose no pós-operatório.


O pós-operatório é um momento que merece maior atenção e não é altura para desconsiderar os tratamentos estéticos complementares, essenciais a uma boa recuperação. A melhor orientação a seguir parte do seu médico cirurgião e, em seguida, dos profissionais de estética qualificados.


Marque a sua avaliação e defina o seu plano de intervenção, adaptado às necessidades do seu corpo. Tudo o que pode fazer para um pós-operatório perfeito.


Posts recentes

Ver tudo