Descubra as vantagens de um peeling químico


O peeling químico é um tratamento estético usado para remover as células danificadas da pele. Descubra as vantagens e como pode tornar a sua pele mais saudável.



O peeling surge como o tratamento adequado para revelar uma pele mais saudável, por baixo das células danificadas. Este pode ser leve, médio ou profundo e é excecionalmente seguro. Os peelings leves não requerem qualquer tempo de inatividade, já os peelings químicos médios e profundos podem exigir duas a três semanas de recuperação.


O que é um peeling químico e para que serve

Os peelings químicos são tratamentos cosméticos que podem ser aplicados no rosto, estendendo-se também às mãos e ao pescoço.


Trata-se de um recurso estético ​​para melhorar a aparência ou sensação da pele, pelo qual, durante o procedimento, soluções químicas são aplicadas na área a ser tratada, o que faz com que a pele esfolie e, eventualmente, descasque. Assim, uma a nova pele surge, geralmente mais lisa, menos enrugada e podendo apresentar também menos danos.


Há uma série de razões pelas quais pode fazer um peeling, tais como:

  • Presença de rugas e linhas finas

  • Danos solares visíveis

  • Cicatrizes de acne

  • Hiperpigmentação

  • Outras cicatrizes

  • Melasma

  • Tom de pele irregular ou vermelhidão


3 Tratamentos de rosto que merecem a sua atenção


Vantagens na realização de um peeling

Das várias razões existentes que o podem levar a fazer um peeling, surge uma série de vantagens, tais como a esfoliação química profunda, o tratamento de hiperpigmentação e outras descolorações da pele, o rejuvenescimento facial, a desobstrução dos poros, tratar a acne e as suas marcas.


Além disso, também reduz a profundidade das rugas ou cicatrizes de acne, o tom de pele fica mais iluminando e a sua ação permite aumentar a capacidade de absorção de outros produtos para a pele.


Existem 3 tipos de peeling químicos diferentes


Peeling superficial – São usados ácidos suaves como o alfa-hidroxiácido, para esfoliar suavemente. Ele penetra apenas na camada mais externa da pele. É recomendado para problemas de pele leves, como pequenas descolorações ou textura áspera.


Peeling médio – É utilizado o ácido tricloroacético ou glicólico para atingir a camada média e externa das habilidades. Isso torna-o mais eficaz para remover células da pele danificadas. É recomendado para problemas moderados da pele, como cicatrizes superficiais, linhas finas e rugas, e descoloração incómoda, como melasma ou manchas.


Peelings profundo – Neste caso, penetra totalmente na camada intermediária da pele para remover as células danificadas da pele, sendo geralmente utilizado o fenol ou ácido tricoloracético. É recomendado para peles danificadas, com cicatrizes moderadas a graves, rugas profundas e descoloração da pele.



Como se deve preparar para fazer um peeling

Antes do procedimento, deve ter uma consulta com um especialista em cuidados com a pele que, durante essa visita, vai determinar qual é a melhor opção de tratamento para a sua pele. Esta avaliação da pele é importante também para lhe serem explicados todos os detalhes sobre o procedimento, sendo o momento ideal para colocar qualquer questão e esclarecer todas as suas dúvidas.


A preparação para a realização de um peeling inclui:

  • Não utilizar nenhum tipo de retinol ou medicamento tópico retin-A, por pelo menos 48 horas antes do procedimento;

  • Informar o seu especialista em cuidados com a pele sobre quaisquer medicamentos que esteja a tomar;

  • Não tomar Accutane por pelo menos seis meses.


Com o procedimento, podem ainda ser apresentadas as seguintes recomendações:

  • Tomar um medicamento antiviral, se tiver histórico de bolhas de febre ou herpes labial, para evitar erupções ao redor da boca;

  • Usar loções especiais para melhorar o tratamento, como loção de ácido glicólico;

  • Usar um creme retinoide para prevenir o escurecimento da pele;

  • Parar de depilar ou usar produtos depilatórios de remoção de pelos, na semana anterior ao peeling, assim como evitar o clareamento do cabelo;

  • Parar de usar esfoliantes e esfoliantes faciais uma semana antes do peeling.


Conhece realmente o seu tipo de pele?



Possíveis riscos ou efeitos colaterais de um peeling

Os efeitos colaterais comuns de um peeling são temporários e incluem vermelhidão, secura, ardência ou sensação de queimadura e leve inchaço. Por isso, torna-se crucial que siga as recomendações do profissional especializado que o acompanha.


Os peelings químicos podem, no entanto, ter riscos mais sérios e efeitos colaterais perigosos que podem ser permanentes. Esses incluem:

  • Escurecimento ou clareamento da cor da pele, sendo mais comum em pessoas com pele mais escura;

  • Cicatriz que pode tornar-se permanente;

  • Pessoas com herpes simples podem apresentar crises após um tratamento e, muito raramente, os peelings químicos podem causar infeções fúngicas ou bacterianas.


Precisamente devido a algumas contraindicações ou aos efeitos colaterais indesejados, não deve fazer este procedimento estético em qualquer lugar ou com qualquer pessoa. Procure referências e um profissional da área, sem nunca dispensar ouvir a opinião especializada para garantir que o peeling é o tratamento mais adequado para si e para a sua pele.



10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo